A lógica funcional natural e qualidade de vida

Novas experiências são importantes para acrescentar conhecimentos e emoções na trajetória de vida de todo ser humano. Muitas pessoas com deficiência não têm oportunidade de frequentar os espaços públicos, quer seja pela superproteção da família, ou pelo despreparo e preconceito da sociedade. Assim, não raro, a vida fica limitada à família, às atividades na escola e os atendimentos de saúde. Tudo isso impede que essas pessoas tenham um desenvolvimento saudável e crítico, imprescindível para construção da cidadania. Percebendo essa realidade e a partir dos princípios da metodologia do Currículo Funcional Natural (LeBlanc), o Centro Dia, da APAE-BH, tem concentrado esforços em atividades que favoreçam o desenvolvimento global de seus usuários e familiares usando a lógica Funcional Natural.

O Centro Dia ofertado pela Apae de Belo Horizonte é um serviço de Proteção Especial para Pessoas com Deficiência e suas famílias, tipificado pela política de Assistência Social, atende pessoas com deficiência intelectual e múltipla (jovens, adultos e em processo de envelhecimento) que apresentam dependência do apoio de cuidadores/familiares, desproteção social, vivências de isolamento social, dificuldade de acesso às políticas públicas e fragilidade dos vínculos familiares.

A finalidade deste serviço é promover a habilitação e reabilitação social, desenvolvendo a máxima autonomia,  participação social e a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência intelectual e múltipla/autismo e de suas famílias.

Para tanto, oferece acolhimento, acompanhamento, orientação sociofamiliar e encaminhamentos para a rede de serviços de diversas políticas. Através da participação nas ambiências e oficinas, os profissionais da APAE-BH buscam desenvolver nos usuários competências e habilidades que utilizam linguagens alternativas (artísticas, desportivas, culturais e de lazer). Dessa forma, a aquisição de autonomia e independência nas atividades da vida diária e da vida prática, a manutenção e promoção da saúde, e a diminuição da sobrecarga do cuidador estão sendo estimuladas. Dentro desta proposta, uma das principais ações tem sido propiciar e facilitar o acesso dos usuários e de suas famílias às situações de vivências sociais, promovendo a construção de uma vida mais ativa e criativa, bem como a melhoria das relações e da comunicação com os outros, tanto na comunidade de vizinhança como nos espaços socioculturais e de lazer da cidade.

As atividades oferecidas estão dentro da Lógica Funcional e Natural para desenvolver e empoderar os usuários, tornando-os capazes de entender e agir de forma adequada e positiva no âmbito social como um todo, utilizando suas próprias perspectivas, conhecimentos e habilidades. As atividades do cotidiano são usadas como principais estratégias de intervenção para discutir valores, normas, relacionamentos e desenvolver uma perspectiva crítica nos usuários que necessitam de apoios extensivos e generalizados. As experiências artísticas e do dia a dia permitem a capacitação do usuário para que ele construa relações de cooperação, respeito, diálogo e de valorização da diversidade de escolhas e possibilidades de interpretação, criação e de vivências sociais. Além disso, essas experiências promovem o desenvolvimento de aprendizagens do universo da participação social.

As habilidades desenvolvidas com os usuários são vivenciadas em situações reais para que favoreçam a aprendizagem da forma mais natural e funcional possível, favorecendo a generalização para outros ambientes, como a casa e a vida em comunidade. Cada ambiência possui ações planejadas e organizadas de acordo com as necessidades e dificuldades do usuário e do grupo. Como aponta a Dra. Maryse Suplino (2005), “o critério de escolha das habilidades que deverão ser aprendidas/desenvolvidas deve considerar aquelas que sejam úteis, funcionais e significativas para a vida da pessoa com deficiência”. Com foco na observação, experimentação, orientação, aconselhamento e oficinas práticas, buscando mais do que instruir e estimular o raciocínio, as ações do Centro Dia priorizam a descoberta de valores, atitudes, conhecimentos e habilidades para a vida social.  Nesse contexto, ocupa espaço fundamental a convivência nos espaços da comunidade (espaços naturais) e da cidade.

Acreditamos que o trabalho, na perspectiva da Lógica Funcional Natural, possibilita mais clareza e segurança aos profissionais no desenvolvimento do trabalho, melhorando sua qualidade. Portanto, é importante a formação continuada para que toda a equipe se envolva e busque intervenções com estratégias cada vez mais funcionais e naturais para atender as necessidades específicas de cada usuário.

Os resultados têm sido percebidos em diversos âmbitos: os pais passaram a enxergar seus filhos de forma mais positiva e apresentam mais segurança na busca por atividades de convivência na comunidade; os usuários se apresentam mais confiantes e estimulados a buscar novas experiências e perspectivas de vida.  Eles demonstram, também, melhoria em aspectos como: relacionamento com os colegas, atitudes de autonomia e independência, criatividade e autodeterminação.

Acreditamos que nossos usuários e suas famílias estão mais confiantes e preparados para construir sua cidadania e se tornarem pessoas mais participativas, produtivas e felizes.

Assim, consideramos que o nosso trabalho contribuiu para atingir o objetivo de ampliar as relações sociais, evitar o isolamento social e potencializar as possibilidades de convivência, oportunizando e empoderando as famílias no que se refere ao acesso a diferentes experiências, seja no dia a dia, na cultura, no esporte e no lazer, e difundindo outros valores e compreensões acerca da vida. Nessa perspectiva, o trabalho trouxe também oportunidades de integrar as ações do Centro Dia com as atividades desenvolvidas na comunidade, resgatando afetos, memórias e sons familiares e comunitários, despertando nos envolvidos sentimentos de alegria e prazer, e melhorando sua qualidade de vida. Principalmente as atividades musicais e teatrais buscam problematizar as vivências e olhares cotidianos, corroborando a lógica funcional e natural, bem como os gostos e prazeres, ou seja, pautam-se na ideia de mediação, contribuindo para que os envolvidos possam enxergar o mundo de maneira mais atenta e crítica, desenvolvendo uma postura mais ativa perante a realidade que os cerca. Neste sentido, trabalhamos de forma planejada e permanente, a introdução dos participantes no mundo da cultura, da arte, do lazer e da inclusão social, em estreita parceria com a comunidade.

Essa estratégia amplia o relacionamento entre todos e promove a aprendizagem em contextos significativos, difundindo valores, desenvolvendo a autonomia, melhorando a qualidade de vida e a compreensão acerca da vida, além de impactar positivamente a convivência com a diversidade.

Propiciar e facilitar o acesso da pessoa com deficiência e de seus parceiros nas atividades socioculturais significa construir uma vida mais ativa e criadora, melhorar as relações e a comunicação com os outros, tanto na comunidade de vizinhança como nos espaços socioculturais e de lazer da cidade. A presença da diversidade humana nos núcleos familiar e comunitário é uma estratégia que amplia o relacionamento entre todos e favorece a autonomia e a aprendizagem em contextos significativos, difundindo valores e compreensões acerca da vida.

 

Sanderleia Rodrigues

Gerente do Centro Dia

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Todo direito reservado - APAE-BH 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?