Musicalização e Deficiência Intelectual

Um dos grandes desafios no trabalho com as pessoas com deficiência intelectual é desenvolver estímulos capazes de aumentar a autonomia, independência e participação social dos usuários e familiares.

Isso nos coloca frente a uma perspectiva bastante desafiadora, pois se percebe que vários conceitos estão, muitas vezes, enraizados socialmente. Desde bem novas, as pessoas com deficiência estão imersas em conceitos sobre si próprias que lhes são lentamente incutidos ou impostos. Pouco a pouco, vão sendo levadas a acreditar que são incapazes e piores que as demais, o que acaba por sufocar algo extremamente valioso e necessário à vida de qualquer ser humano, independente de sua condição de saúde: o autoconceito positivo.

Sabe-se que as várias formas de expressão que utilizam a arte como fio condutor favorecem ações importantes para o alcance de objetivos relativos à melhora do estado emocional e físico de pessoas com deficiência.

Neste contexto, as atividades musicais oferecidas pelo Programa Educação Para e Pelo Lazer, da APAE-BH, buscam contribuir para a melhora da qualidade de vida do usuário, provocando rupturas que re-signifiquem os conceitos negativos relacionados à incapacidade supostamente inerente à deficiência intelectual.

Com a inclusão de atividades musicais na rotina dos usuários deste Programa nos últimos anos, este fato vem sendo observado e mensurado.  A Banda da Diversidade, criada num projeto de 2005 e desenvolvido na instituição, é uma fonte de dados importantes sobre essa atividade.

A partir das avaliações feitas utilizando-se os Planos de Desenvolvimento do Usuário (PDU), a Escala de San Martin e os depoimentos de usuários, educadores e familiares ficou comprovado que a expressão das emoções, sentimentos e ideias por meio da música, trouxe ganhos consideráveis, como por exemplo: melhora na comunicação, autoconfiança, autoestima, comportamento, autonomia e tomada de decisões por parte dos usuários.

Bibliografia

ALBINATI, Maria Eugênia Castelo Branco. A musicalização da criança com necessidades especiais. Belo Horizonte: Escola de Música da UFMG, 1995 (monografia).

MAGNANI, Sergio. Expressão e comunicação na linguagem da música. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1989.

 

Sanderleia Rodrigues
Gerente do programa Centro Dia – Educação Para e Pelo lazer da ApaeBH
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Todo direito reservado - APAE-BH 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?