Alunos do EJA – Anos Finais, se formam na Apae-BH

A última sexta-feira, 14/12, foi de muita emoção para os alunos do 3º período do EJA – Educação de Jovens e Adultos, Anos Finais, da Escola Especial Oficina Sofia Antipoff, da Apae de Belo Horizonte. Concluindo o Ensino Fundamental, os formandos e suas famílias participaram de uma solenidade e de um jantar na instituição. Logo na chegada, já era possível ver a expectativa e o entusiasmo de todos. As famílias foram se sentando à espera da entrada dos formandos.

Para dar início à cerimônia, foram convidados para compor a mesa: Sra. Judith Maria de Magalhães Monteiro, Presidente da Apae de Belo Horizonte; Sra. Lucianna Maria Guedes Gontijo e  Sr. Robert Adriano Alves de Almeida, respectivamente Diretora Pedagógica e Supervisor Pedagógico da Escola Oficina Sofia Antipoff; Sr. Ivan Henrique Barbosa dos Santos, Representante dos Docentes; Sra. Iolanda de Souza Cruz, Representante das famílias dos formandos; e os autodefensores da entidade Maria de Fátima Leite e Edson de Moura Paula.

Em seguida, sob muitos aplausos, os formandos entraram na quadra ao som da animada música “Happy”, do cantor americano Pharrell Williams. Os familiares ficaram emocionados, tiraram fotos e comemoraram. Em seguida, foi executado o Hino Nacional Brasileiro.

Para a abertura da solenidade, a Sra. Judith Maria de Magalhães Monteiro fez seu discurso dizendo que os formandos estavam terminando uma etapa muito importante da vida e parabenizando-os pelo esforço, dedicação e pela conquista. No dia anterior, quando estava tentando escrever alguma coisa para falar durante a cerimônia, a presidente da APAE-BH pensou: “todos os formandos trilharam o mesmo caminho, mas cada um de uma maneira diferente. Com mais ou menos dificuldade, com mais ou menos esforço. De um jeito muito particular, todos vocês conseguiram alcançar o objetivo. Por quê? Porque somos todos diferentes uns dos outros e ser diferente pode ser uma questão de perspectiva.” Segundo Judith, “o outro é tão diferente aos meus olhos, como eu o sou diante dos olhos dele.” Ela prosseguiu afirmando que “o mais importante de tudo é sabermos respeitar as diferenças e aprender com elas. No meio da diversidade nós crescemos e nos tornamos pessoas melhores”.

Judith ainda ressaltou que “as pessoas com deficiência intelectual podem ter limitações, mas ao mesmo tempo têm capacidades, habilidades e potencialidades que precisam e devem ser estimuladas à exaustão. Hoje, vivemos num mundo em que se privilegia a razão utilitária, o parecer ser, o parecer ter, mesmo que isto nos custe o abandono de valores éticos e morais. Por isso, temos que lutar pela formação de um cidadão crítico, participativo, que compreenda a cidadania como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças e ao preconceito, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito. É este o compromisso da APAE-BH na construção de uma sociedade inclusiva”.

Em seu discurso, o Sr. Robert Adriano Alves de Almeida agradeceu aos alunos, familiares e àqueles que viabilizaram a celebração da formatura e afirmou: “Hoje concluímos mais uma etapa de nossas vidas, e esta, sem dúvida, é apenas uma das tantas vitórias que estão por vir, e é por este motivo que celebramos. Não devemos somente celebrar, mas também festejar, pois a cada conquista avançamos rumo à realização de um sonho.” O Supervisor Pedagógico ainda ressaltou que é preciso reconhecer a importante e incansável missão de um grupo de pessoas que se esforçou muito para que a celebração fosse possível, como a Supervisora Pedagógica Andreza Araújo e os professores e monitores, que fizeram com muito amor e carinho o seu trabalho. Ele estendeu os agradecimentos a Sra. Judith Monteiro, a Sra. Lucianna Gontijo e a Sra. Patrícia Valadares, Gestora de Ações Integradas da APAE-BH, pela confiança e apoio . Ao final, Robert desejou aos formandos uma caminhada repleta de realizações, conquistas e vitórias. “Muitos foram os desafios, mas o júbilo deste momento significa que todos vocês são vencedores”, afirmou.

Foi convidada a discursar também a Sra. Lucianna Maria Guedes Gontijo, que comentou o significado da formatura: uma importante conquista. “2018 foi um ano muito especial, pois conseguimos fazer a educação especial realmente acontecer. Isso para a instituição é uma emoção muito grande”. Segundo a Diretora Pedagógica, quando se trabalha com deficientes intelectuais, sabe-se que o tempo deles é diferente, e quando chega a formatura, você olha para essas pessoas e vê que elas chegaram no tempo certo para receber o diploma. Para Lucianna, foi uma tarde muito especial. “A gente conseguiu cumprir o verdadeiro papel da educação, pois eles sabem que saindo da Escola, a educação vai continuar”, e finalizou: “A nossa escola amadureceu junto com vocês, porque nós aprendemos também. Não vamos desistir de capacitar professores e de fazer dessa educação, algo diferente na vida dos alunos.”

Discursaram também a Sra. Iolanda de Souza Cruz, mãe do aluno Charles Souza Silva e representante das famílias dos formandos, e o Sr. Ivan Henrique Barbosa dos Santos, Professor da Escola Especial Oficina Sofia Antipoff. Ambos agradeceram e falaram sobre a importância do momento.

Em seguida, vieram as homenagens. A Sra. Andreza Araújo homenageou os pais, afirmando que o momento tão especial da formatura só foi possível porque os pais estiveram ao lado de seus filhos e, também, da Escola. “Com vocês nós aprendemos muitas coisas, mas o mais importante foi o significado da palavra amor. Vocês se sacrificaram, se dedicaram, abdicaram de tempo e de muitos projetos pessoais para que seus filhos pudessem frequentar a escola. Sem vocês não teríamos chegado até aqui.”

Para agradecerem aos pais e demonstrarem todo o amor que sentem, os formandos fizeram uma apresentação emocionante, ao som da música “Como é grande o meu amor por você”, de Roberto Carlos.

Para homenagear os funcionários, o Sr. Warleison Sales Vieira, monitor da Escola Especial Oficina Sofia Antipoff, comentou: “hoje vivemos um momento de grande alegria e, com certeza, os colegas de trabalho fazem parte da caminhada até aqui percorrida.” Warleison agradeceu a cada um pela contribuição e desejou que 2019 seja  repleto de grandes conquistas e realizações.

A formanda Lúcia de Oliveira homenageou os colegas: “Obrigada pela amizade que construímos ao longo desses anos. Obrigada por existirem em minha vida.”

A homenagem aos professores foi feita pelo formando Raphael Soares Ribeiro, que disse: “um bom professor marca a vida de seus alunos para sempre. Obrigado pelos conhecimentos adquiridos.”

Mas o momento mais esperado foi a entrega dos certificados aos alunos concluintes. Ao som das canções “We Are The Champions”, do Queen, “Coração de Estudante”, de Milton Nascimento e “Pescador de Ilusões”, do O Rappa, eles foram até a frente e receberam os certificados e os parabéns dos componentes da mesa.

Para o encerramento da cerimônia, a Sra, Judith Monteiro desejou um Feliz Natal a todos e aproveitou para afirmar que cada pessoa é do tamanho do seu mundo e vice-versa, e do seu desejo para o próximo ano: “Que em 2019 cultivemos com muito carinho o sonho de construirmos uma sociedade justa e igualitária, com oportunidades para todos. Devemos ter esperança e acreditar que algo é possível, mesmo quando há indícios do contrário. A alegria da superação nos faz descobrir novas formas de lidar com a vida e, dessa experiência, nos reorganizamos de forma eficaz.”

Após a exibição de fotos da turma no telão, todos foram convidados a saborear um delicioso jantar e curtiram uma apresentação musical na “boate” montada no auditório da instituição.

A Apae-BH deseja muito sucesso e felicidades aos formandos e suas famílias!

EJA – Educação de Jovens e Adultos

A EJA – Educação de Jovens e Adultos é uma perspectiva da cidadania na medida em que instrumentaliza formalmente o indivíduo para demandas gerais da vida em sociedade, possibilitando sua inclusão no mundo do saber escolar e do trabalho, preparando-o para o exercício da cidadania.

A proposta da EJA na Escola Especial Oficina Sofia Antipoff aponta para a necessidade da valorização do tempo do aluno como tempo de aprendizagem. Desta forma, a aprendizagem se dá em diversos espaços, levando em conta as especificidades e vivências cotidianas de cada um. Trata-se de uma aprendizagem funcional, onde ler, escrever, fazer cálculos matemáticos e se expressar são atividades incorporadas ao trabalho dentro das Oficinas de Formação para o Trabalho e em outros espaços, favorecendo o desenvolvimento de suas capacidades e habilidades e viabilizando sua inserção na sociedade como cidadão crítico e participativo.

Crédito: Assessoria de imprensa Apae-BH

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Todo direito reservado - APAE-BH 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?