Deficiência Intelectual

Os usuários com diagnóstico ou suspeita de Deficiência Intelectual e/ou Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) são avaliados por uma equipe multiprofissional, composta por profissionais das áreas de psicologia, fonoaudiologia, fisioterapia, assistência social, terapia ocupacional e psiquiatria. Essa avaliação tem como objetivo estabelecer o diagnóstico funcional, definir os tipos e intensidades de apoios e fundamentar a elaboração do Projeto Terapêutico Singular (PTS).

O processo de habilitação/reabilitação da pessoa com Deficiência Intelectual e/ou com Transtorno do Espectro do Autismo é organizado em torno de todo o ciclo de vida do indivíduo (infância, adolescência, fase adulta e envelhecimento) e considera a perspectiva biopsicossocial.

Programa de Intervenção Precoce Avançado – PIPA

Respeitando a deliberação CIB-SUS/MG Nº 1.404, de 2013, as atividades do Programa de Intervenção Precoce Avançado (PIPA) do CER-IV de Contagem, contemplam o acompanhamento dos neonatos de risco (NR), o diagnóstico precoce, a promoção da Intervenção Precoce (IP), a prevenção de agravos, visando melhorar o prognóstico e a qualidade de vida das crianças com deficiência.

O acompanhamento do neonato de risco compreende o período do nascimento aos 24 meses de idade. Esse é o período em que o NR, ainda sem diagnóstico, apresenta-se mais susceptível ao desenvolvimento de deficiências. Caso seja constatado atraso no desenvolvimento neuropsicomotor e/ou deficiência durante o acompanhamento, o usuário imediatamente será inserido na intervenção precoce.

Intervenção Precoce I: crianças até 3 anos e 11 meses com diagnóstico definido.

Intervenção Precoce II: crianças dos 4 até os 6 anos e 11 meses de idade, com diagnóstico definido.

Este trabalho visa proporcionar a melhora da funcionalidade, a inclusão social, a prevenção da perda funcional, a compensação da função perdida e a manutenção da função atual.

Ajude a APAE BH

Sua doação é muito importante para nós!