Desde 2018, a APAE BH vem executando, destinado a centenas de famílias de Belo Horizonte, um serviço essencial e admirável, que ainda não é muito conhecido do grande público: trata-se do “Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas Famílias”, o SPEPDI.

O serviço é ofertado pela Prefeitura de Belo Horizonte através da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania e executado em parceria pela APAE BH. O SPEPDI atende em domicílio usuários de todas as regionais da Capital e é referenciado aos CREAS regionais.

O Serviço assiste regularmente pessoas com deficiência e idosas, com algum grau de dependência, que tiveram suas limitações agravadas por violações de direitos. A equipe do serviço conta com gerente, assistentes sociais, psicólogos, terapeuta ocupacionais, motorista, supervisoras e cuidadores sociais, que comparecem até as casas dos usuários e, por meio de diversas ações e atividades e acompanhamento social, buscando estimular a autonomia, promoção da inclusão e, consequentemente, aumento da qualidade de vida de todos os usuários do serviço e de suas famílias.

2020 e a pandemia

Os atendimentos ofertados pelo SPEPDI são essenciais e relevantes e, durante a pandemia, muitos dos atendimentos socioassistenciais foram mantidos para que a proteção social fosse preservada, considerando a situação o agravamento das vulnerabilidades relacionais, riscos sociais e pessoais e a violação de direitos. Já outros usuários, menos comprometidos, estão sendo acompanhados por monitoramento remoto.

Para se ter uma ideia do alcance do serviço executado pela APAE BH, em 2020 foram feitas 2.361 visitas pelos técnicos do Serviço e quase 15 mil atendimentos pelos cuidadores sociais.

No ano passado, o público atendido foi composto por 65% de idosos, sendo que quase 70% do total de assistidos apresentam algum tipo de deficiência e ou transtorno mental associado. O serviço se mostra ainda mais indispensável, principalmente quando analisamos que 33% dos usuários moram sozinhos, quase 40% são acamados e boa parte dos cuidadores familiares é composta por idosos ou apresentam transtorno mental.

Cuidados reforçados com a higienização

Mesmo antes da pandemia, os cuidadores sociais e técnicos do serviço já cumpriam todas as exigências de assepsia recomendadas pelos órgãos de saúde. Depois que a pandemia da COVID 19 se instalou, os cuidados foram intensificados, especialmente o uso de equipamentos de proteção individual, como luvas, capotes de tecido, toucas, máscaras, face shield, óculos de proteção e álcool em gel, além, é claro, de rigidamente cumprida toda a etiqueta respiratória.

Vêm sendo realizadas constantemente, durante todo esse período de pandemia, sensibilização aos usuários, familiares e profissionais sobre a importância dos cuidados de prevenção de contágio do Coronavírus.

Os atendimentos e outros benefícios do serviço

Além dos cuidadores sociais, o SPEPDI conta também com o apoio indispensável de psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e supervisoras dos cuidadores. Um ponto extremamente importante de todo o trabalho desenvolvido tanto nos domicílios quanto pelo monitoramento remoto é a imensa dedicação dos profissionais em desenvolver técnicas e ferramentas que possibilitem maior interação com os usuários. Muita criatividade e disposição também fazem parte da amplitude do trabalho dos profissionais da APAE, que, além das intervenções e do acompanhamento social, o serviço dispõe de jogos e recursos lúdicos e terapêuticos para conquistar ainda mais o envolvimento dos assistidos no processo de assistência.

A ideia é desenvolver habilidades cognitivas e motoras que auxiliem ao máximo a autonomia e a independência social dos usuários, bem como o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, algo importantíssimo nesse processo. E o resultado tem sido incrível! Com todo o serviço prestado, o SPEPDI tem conseguido prevenir o acolhimento institucional e a segregação dos usuários do serviço, assegurando a eles o direito à convivência familiar e comunitária, além de desenvolver ações para a superação das situações violadoras de direitos.

A equipe do SPEPDI atua também intensamente na orientação para o acesso de todos os usuários aos benefícios socioassistenciais a que têm direito, como programas de transferência de renda e auxílios governamentais. Além disso, ao apoiar as famílias na tarefa de cuidar, o serviço consegue diminuir a sobrecarga dos familiares, que acabam encontrando tempo para cuidar de si mesmos. É o chamado “cuidar de quem cuida”, um dos objetivos da atuação do SPEPDI.

Acesso ao serviço

A demanda de inserção no serviço é identificada pelos serviços socioassitenciais e das demais políticas públicas setoriais e pelo Sistema de Garantia de Direitos.

As pessoas que necessitam deste serviço são encaminhadas à APAE pelos Centros de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS de cada regional. Ao identificar a necessidade de atendimento, cada CREAS encaminha relatório técnico para a gerência do Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, Idosas e suas Famílias (SPEPDI), solicitando a inserção do usuário.

Revisão técnica: Karla Barbosa Gomes – Psicóloga/Técnica Social – SPEPDI e Poliana Reis G. Soares – Gerente – SPEPDI

 

©2022 Apae-BH. Desenvolvido por Sintext.

Navegue pelo site:

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?