A escola precisa estar preparada para receber as famílias do século XXI, para que ambas possam criar um diálogo constante e relações de respeito e companheirismo em prol da educação do aluno/filho.

Diante desta perspectiva, Içami Tiba (1996, p.140), afirmou que “O ambiente escolar dever ser de uma instituição que complete o ambiente familiar do educando, os quais devem ser agradáveis e geradores de afeto. Os pais e a escola devem ter princípios muito próximos para o benefício do filho/aluno.” (1996, p.140)

O papel que a família exerce na vida do filho/aluno é de grande relevância para seu desenvolvimento escolar e isso, em hipótese alguma, pode ser desconsiderado.

A família tem o dever de acompanhar o desempenho escolar do filho com a responsabilidade de intermediar sua prática no dia a dia.

A escola vai apenas completar o ambiente familiar, uma vez que os primeiros incentivos devem surgir na família, acompanhando diariamente as dificuldades e os avanços e estimulando para que possam aprender cada vez mais.

A família tem um papel muito importante na vida escolar dos filhos e isso é consenso entre professores.

É importante que os pais estejam cientes da proposta pedagógica da escola, participando de sua elaboração e efetivação. É necessário propor ações que tragam a família para a escola, distanciando a barreira existente entre elas.

Os pais devem ter contato mais próximo com os professores, não somente em reuniões e datas comemorativas, mais em outros momentos, participando ativamente e contribuindo com a escola no processo de aprendizagem dos alunos.

Os pais que participam ativamente da educação dos filhos têm resultados satisfatórios no final do ano letivo. Infelizmente, na maioria das escolas não há ações que aproximem as famílias do ambiente escolar, e a falta de políticas públicas e de planejamento acabam afetando essa aproximação.

A maioria dos pais é ciente de seu papel e de sua responsabilidade, porém tem dificuldades de assumir esta responsabilidade junto com a escola, por não saber como e o quê fazer.

Içami Tiba (2012, p116) diz que: “Os pais sabem de suas responsabilidades quanto ao futuro de seus filhos. Quando se sentem incapazes – incluindo aqui certo conforto –, tendem a delegar a educação de seus filhos a terceiros: escola, psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, babás, funcionários, avós, tios dos filhos etc”.

A Escola Oficina Sofia Antipoff tem o desejo de que a família esteja mais próxima, para que juntas possam dividir os problemas e as dificuldades, pois tanto a escola quanto a família são imprescindíveis ao indivíduo e, quanto mais forte a parceria entre elas, mais eficazes serão os resultados no desenvolvimento do ser humano. Esta parceria deve ser constante, uma complementando a outra.

É de suma importância compartilhar as experiências vivenciadas no dia a dia, seja ela positiva ou negativa, sem fazer julgamento daquilo que não deu certo, mas, sim, procurar melhorar cada vez mais para que no final os resultados sejam satisfatórios.

A família e a escola são parceiras fundamentais no desenvolvimento de ações que favoreçam o sucesso escolar e social dos alunos, formando uma equipe. É essencial que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir.

Acreditamos que a educação perpassa tanto o ambiente escolar quanto o familiar. A interação entre ambos é muito importante para o sucesso do processo ensino/aprendizagem.

Diante do exposto surgem as seguintes indagações: De que forma deve ocorrer a participação da família na escola? De que maneira a escola pode estimular a participação dos pais? Quais os principais resultados decorrentes dessa participação?

A participação da família no ambiente escolar é fundamental no processo ensino/ aprendizagem. Família e escola são os principais suportes com os quais o filho/aluno pode contar para enfrentar desafios.  Integradas e atentas, Família e Escola podem detectar dificuldades de aprendizagem e outras questões e contribuir de maneira eficiente para encontrar soluções. A família deve ser parceira, aliada à escola e aos professores, para, juntos, realizarem um trabalho de envolvimento e cumplicidade nos assuntos relacionados ao ambiente escolar.

A discussão sobre como envolver a família no processo de aprendizagem na escola não é recente e promover a corresponsabilidade tem muitos desafios e exige esforço e dedicação de ambas as partes. Mas a mudança e a perspectiva de integração entre família e escola devem ser incentivadas e analisadas constantemente. Esta luta é necessária para favorecer o processo de ensino/aprendizagem do educando e oferecer a ele uma boa formação, uma preparação melhor para enfrentar as dificuldades que certamente virão no decorrer de sua vida adotando atitudes coerentes.

Dentro da família, os pais são os responsáveis pelos seus filhos e respondem por seus herdeiros, pelo menos até atingirem a maioridade. Todavia, no período anterior à maioridade, os filhos já passam por diversas experiências e responsabilidades, principalmente no período escolar. Neste período, a participação constante dos pais e o acompanhamento intensivo do ensino de seu filho são imprescindíveis para que a educação atinja os objetivos. A família e a escola têm um papel muito importante no desenvolvimento mental, psicomotor, social e afetivo do ser humano. Se a criança recebe uma boa educação, esta servirá de apoio à sua criatividade e ao seu comportamento produtivo quando adulto. Nesse contexto, a família é a influencia mais poderosa para o desenvolvimento da personalidade e do caráter do cidadão.

Uma das funções da escola é buscar uma aproximação com as famílias de seus alunos promovendo atividades como: interação e apoio com diversos profissionais, como psicólogos; fazer visitas aos familiares; promover reuniões de pais e professores com mais frequência, além de realizar trabalhos técnicos com a participação dos familiares para que estes possam conhecer os conteúdos que seus filhos estão desenvolvendo nas diversas atividades curriculares, proporcionando laços entre escola, família e professores.

Para validar esta função, trabalhamos com a Pedagogia de Projetos para que a família possa ter a oportunidade de vir a Escola Oficina Sofia Antipoff e participar do desenvolvimento de algumas tarefas pedagógicas.

O papel a ser exercido pela escola e pelos pais, em se tratando de uma sociedade que passa por mudanças constantes, é a busca de novas formas e caminhos para alcançar êxito na formação de valores, pois muitos dos valores considerados essenciais pela humanidade estão sendo abalados. Por isso, é tão importante fazer da escola um ambiente em que os filhos/estudantes possam se sentir seguros e confiantes no seu próprio potencial. No entanto, isso só será possível quando esse ambiente estiver bem estruturado e apoiado pela família.

Lucianna Gontijo

Diretora Pedagógica da Escola Sofia Antipoff

 

Bibliografia:

TIBA, Içami. Disciplina, limite na idade certa.São Paulo: Editora Gente, 1996

Zagury, Tânia. Escola sem conflitos: parceria com os pais – Rio de Janeiro: Record, 2008

MALDONADO, Maria T. Comunicação entre pais e filhos: a linguagem do sentir. São Paulo: Saraiva 1997.

OSÓRIO, Luiz Carlos. Família hoje. Porto Alegre: Artmed, 1996.

PIRES, K.M. Os seus, os meus, os nossos. IN: A&E Atividades e Experiências – Especial Família, ano 10, p. 12-15, no 09, setembro, 2009.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2020 Apae-BH. Desenvolvido por Sintext.

Navegue pelo site:

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?