A PBH promoveu recentemente o “Hackathon: Soluções para a Economia Criativa”, evento online desenvolvido em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

O Hackathon teve como proposta incentivar a criação de soluções inteligentes, inovadoras e tecnológicas para recuperar o setor criativo da capital mineira, no contexto de desafios impostos pela pandemia de Covid-19, uma vez que, segundo destacou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Beato, a economia criativa foi um dos setores mais afetados pela pandemia do novo Coronavírus.

O Hackathon mobilizou redes e organismos internacionais, cidades brasileiras e estrangeiras, empresas, profissionais e estudantes de diferentes áreas, para trocarem conhecimento e desenvolverem soluções inovadoras para desafios da economia criativa.

Os participantes do Hackathon desenvolveram ideias inovadoras para as áreas de gastronomia, design e artesanato.

Danilo Barcessat, designer institucional da APAE BH

E foi justamente no artesanato desenvolvido pelo grupo de mulheres artesãs que a APAE baseou o seu projeto inscrito. Um projeto que reúne mulheres batalhadoras, criativas e empenhadas em construir, a partir de suas mãos, um dia a dia digno para si e para seus filhos.

O grupo formado pelas mulheres artesãs da APAE BH é formado por 30 mulheres incríveis e cada uma desenvolve produtos exclusivos e muito bem construídos e acabados. O projeto foi apresentado à PBH pelo designer Danilo Barcessat, da APAE, responsável por reger de forma muito harmoniosa todas as atividades criadas por essas mulheres incríveis.

Alba Cutrim, artesã

Danilo apresentou um vídeo contando resumidamente a história de duas artesãs, que mostraram que o artesanato trouxe mudanças na vida familiar e econômica, e que materiais descartados podem se transformar em peças incríveis, que basta técnica, criatividade e muito amor.

“A economia criativa, se tornou minha principal fonte de renda. Mudou minha forma de enxergar as coisas e principalmente o descartável. Tudo se passou a ser reaproveitado”, comenta Alba Cutrim, artesã

Adriana Mara, artesã

“Artesanato nos dá coragem para enfrentar muita coisa. A Economia Criativa veio para nos dar vida”, diz Adriana Mara, artesã.

Esta oportunidade no Hackathon já está gerando frutos. A APAE BH e o seu setor de Economia Criativa estão ampliando a rede de parceiros, com pessoas interessadas em ofertar cursos para as artesãs, estandes em feiras e espaços de divulgação.

©2022 Apae-BH. Desenvolvido por Sintext.

Navegue pelo site:

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?