SISTEMA DE FREQUÊNCIA MODULADA PESSOAL (FM)
Por: Alaiz Alves da Costa – Fonoaudióloga do CER IV Contagem /APAEBH

A percepção e compreensão da fala podem parecer uma tarefa fácil, mas a verdade é que ambas dependem da correlação de várias habilidades para que aconteçam de maneira satisfatória. Muitas pessoas apresentam dificuldade na compreensão da fala quando existe algum ruído no ambiente (várias pessoas falando ao mesmo tempo, som ligado, barulho de trânsito). Todos esses ruídos provocam dificuldade quando queremos e precisamos nos concentrar no que apenas uma pessoa está falando. Nas pessoas que possuem perda auditiva essa dificuldade de concentração e compreensão no ambiente ruidoso se torna ainda maior.

O uso do Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) e implantes cocleares pode minimizar os efeitos negativos que a deficiência auditiva provoca. Mas, em alguns casos, mesmo com todas os recursos tecnológicos presentes nos aparelhos auditivos e implantes cocleares as queixas dos deficientes auditivos ainda permanecem, pois esses recursos não captam apenas os sinais de fala, mas também os sinais do ambiente, podendo não garantir uma boa relação sinal-ruído, principalmente quando a distância da fonte sonora e a reverberação também interferem nessa relação.

Pensando nisso, empresas que fabricam aparelhos auditivos desenvolveram o Sistema de Frequência Modulada Pessoal (Sistema de FM). O sistema de FM é um dispositivo eletrônico auxiliar da audição que pode ser incorporado ao aparelho auditivo ou implante coclear. Ele melhora a recepção da mensagem falada, mesmo com a distância e presença de ruído. Esse dispositivo é composto por um transmissor (microfone que fica o mais próximo possível da boca do interlocutor) e um receptor (que é acoplado ao aparelho auditivo ou implante – ou como colar de indução), que fica no pescoço do usuário. O microfone do transmissor capta o som quando a pessoa fala, modifica os sinais e os envia diretamente para o receptor. Assim, a pessoa percebe e compreende o sinal de fala, mesmo que o interlocutor esteja distante e na presença de ruído e/ou reverberação.

O uso desse recurso apresenta benefícios em várias situações (palestras, salas de aula), além de promover acessibilidade a muitos outros equipamentos eletrônicos, como televisão, rádio e computador, permitindo maior conectividade com equipamentos de áudio e de mídias eletrônicas. Entretanto, o uso do FM não se restringe somente a indivíduos com perdas auditivas; seu uso também é benéfico em crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem e déficit de atenção.

O Sistema de Frequência Modulada Pessoal foi inserido como parte dos procedimentos do SUS – Sistema Único de Saúde em junho de 2013, pela portaria N° 1.274. No Centro Especializado em Reabilitação Antônio de Oliveira CER IV – Contagem/APAEBH a indicação do Sistema de FM é realizada por profissionais capacitados após avaliação completa, desde que o candidato esteja dentro de alguns critérios como idade, fase escolar, entre outros.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2020 Apae-BH. Desenvolvido por Sintext.

Navegue pelo site:

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?