Nesta semana está acontecendo a II Formação dos Profissionais de Apoio à Inclusão da Seduc – Secretaria Municipal de Educação de Contagem. Realizado na Escola Municipal Heitor Villa Lobos, o objetivo do encontro é informar e capacitar profissionais que atuam com a educação inclusiva em todas as escolas municipais da cidade.

Na ocasião, foram convidadas para apresentarem palestras Renata de Carvalho Schettino, Fisioterapeuta e Referência Técnica da Reabilitação e da Rede de Cuidado da Pessoa com Deficiência da Prefeitura Municipal de Contagem, e Aline de Oliveira, Fisioterapeuta e Gerente da Reabilitação Física do CER IV de Contagem – Centro Especializado Antônio de Oliveira, administrado pela Apae-BH.

Em sua palestra, Renata explicou sobre a estrutura, os atendimentos e o trabalho desenvolvido pelo CER IV, com o objetivo de apresentar a rede de cuidados com a saúde da pessoa com deficiência, mostrando o CER IV e os fluxos, que facilitam o acesso das pessoas que necessitam dos serviços. Renata ressaltou que “temos que mostrar a importância dos cuidadores em todo esse processo de inclusão da pessoa com deficiência. A área da saúde participar de uma capacitação na área da educação é o caminho certo, pois é preciso ter uma rede se complementando e falando a mesma língua.”

Em seguida, a palestrante Aline abordou o tema “O manejo do estudante com deficiência”. Ela explicou questões sobre as quatro modalidades de deficiência: intelectual, física, auditiva e visual e sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Além disso, ela falou sobre como tratar o aluno com cada uma das deficiências, usando técnicas para tornar as atividades mais viáveis. Segundo ela, é fundamental a presença do cuidador para levar os alunos com deficiência ao banheiro e, em alguns casos, para dar as refeições. “Na inclusão, semelhanças e diferenças relacionam-se de modo interdependentes e indissociáveis”, afirmou.

Para Aparecida de Fátima Alves, cuidadora na Escola Municipal Jesus Milton, a capacitação foi muito importante: “No meu trabalho, eu sou responsável por duas crianças, uma com autismo e outra com hidrocefalia. Então, para mim, essa formação é muito boa. Eu não tinha conhecimento sobre o que vem a ser a hidrocefalia, e hoje eu pude tirar as minhas dúvidas, ser esclarecida e aprender como lidar com a criança. Foi ótimo!”

Ao final da apresentação, Aline comentou: “A parceria entre a rede de saúde e a da educação é fundamental na consolidação de ações de promoção da saúde e de potencialização da funcionalidade da criança com deficiência. O pano de fundo que fundamenta essa articulação é estimular e desenvolver ao máximo o potencial funcional das crianças, focando em suas habilidades e não nas dificuldades. Pensar em inclusão a partir dessa referência produz resultados surpreendentes”.

Crédito: Assessoria de Comunicação Apae-BH

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2020 Apae-BH. Desenvolvido por Sintext.

Navegue pelo site:

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?